AEBP rompe com a WFIS.

Em um comunicado publicado em seu site, a AEBP – “Scouts Brasil” anunciou o rompimento com a central mundial, a WFIS – World Federation of Independent Scouts.

Entre os motivos divulgados, a AEBP alega que a WFIS se tornou um “tribunal”, que já não reconhece os certificados de formação emitidos pelo Brasil e que causou “vultuosos” prejuízos econômicos à filiada brasileira.

Além disso, em sua página no Facebook, o diretor-presidente da AEBP – que ocupa este cargo há 10 anos – afirma que já não vê necessidade de uma filiação internacional.

Continuar lendo

Anúncios

[Revival] Membros do CAN fazem manifesto contra a DEN.

O texto anterior sobre o manifesto do CAN contra a DEN pode servir para esclarecer as intenções políticas de alguns conselheiros e as manobras que realizam para isso. Não havia necessidade daquele texto (e nem mesmo deste) para denunciar a questão quando o próprio histórico destes órgãos conta com intervenções ilegítimas, comissões de ética inventadas, cobranças ilegais de taxas internacionais e uso político-partidário da associação para interesses alheios ao desenvolvimento do escotismo no Brasil.

Mas por pequena que seja a possibilidade de não entendimento do texto anterior, sempre é dever do emissor (este blog) explicar em outras palavras.

Continuar lendo

Membros do CAN fazem manifesto contra a DEN.

Seis membros do Conselho de Administração Nacional (CAN) apresentaram, no dia 22/3, um manifesto contra a Diretoria Executiva Nacional (DEN). No documento, os conselheiros fazem uma lista de infrações que a DEN supostamente cometeu e pedem a adequação da diretoria aos pontos elencados no prazo de 30 dias sob risco de ser exonerada.

Continuar lendo

UEB-SC resolve usar a marca nacional e agora “somos um só”. Só que não.

Déjà vu.
No ano passado, este blog divulgou a notícia sobre a substituição do lenço regional de São Paulo pelo lenço nacional. No texto, alertava-se que a mudança foi puramente política, muito longe deste sentimento iluminista de liberdade, igualdade e fraternidade que querem nos fazer crer. Enquanto divulgavam que o lenço nacional nos traria um sentimento de unidade, a região paulista, por exemplo, impunha sanções a associados que não participassem em atividades.

Continuar lendo

O mito do “empoderamento” que ensinamos no escotismo. Ou: Igualdade não é negócio

Vocês devem ter reparado que a UEB – “Escoteiro do Brasil” tem falado muito em empoderamento, equidade e igualdade.
Ótimo. Assim vamos quebrando certas barreiras que andaram pautando o escotismo nas últimas décadas, mas principalmente rompendo com essa inércia fundamentalista de que o escotismo “não é militante”. O escotismo, ao proclamar para si a construção de um mundo melhor, não deve assumir isso de forma coadjuvante, senão esforçar-se na militância (sim, com todas as letras) para esta construção.

O problema é que por trás de pautas que até parecem progressistas, existe uma lógica mercantilista de teor meritocrático que é difícil de entender, mesmo que carregada de boas intenções.

Continuar lendo