Escotistas de SC e o “verdadeiro escoteiro”.

Promessa EscoteiraEsta história chegou por e-mail.

Um escoteiro e sua mãe foram comprar um meião preto num centro comercial de Santa Catarina. O meião era para compor o uniforme de um grupo escoteiro não filiado às associações nacionais, seja UEB, AEBP ou qualquer sopa de letrinhas.

O garoto, ao avistar dois adultos com uniforme escoteiro na loja, entusiasmou-se e foi cumprimentá-los. Os escotistas, ao pegarem o lenço do garoto (que também andava com seu uniforme) perceberam que ele não era filiado à associação majoritária, a UEB – “Escoteiros do Brasil”. Não tendo nada melhor que falar, os dois adultos disseram que ele não deveria se chamar “escoteiro”, mas “amigo de B.-P.”, e completaram, para a perplexidade da mãe que o acompanhava: “se você fosse escoteiro, você estaria no congresso regional escoteiro agora”.

Continuar lendo

Sobre ameaças, isolamento institucional, páginas patrocinadas e mais.

Parece que estas páginas patrocinadas, que usam este patrocínio (sabe-se lá de quem) para propagar o decrépito discurso institucional, andam sensíveis. Não bastasse bloquearem aqueles que discordam de seus discursos, simplesmente se remoem por serem refutadas. Isto acontece quando decidem publicar algo com muitas certezas e poucas dúvidas. O básico da literatura escoteira, neste sentido, deveria ser o método maiêutico de Sócrates, e não o Escotismo para Rapazes.

Continuar lendo

Resolvendo a questão “Associações independentes”.

Image59

As associações ditas independentes acompanham o escotismo desde sempre. Já em 1910, quando quase não caminhávamos com as próprias pernas, um grupo de escotistas se afastava do movimento idealizado por Baden-Powell para criar uma nova organização sob o argumento de não condividir a propaganda militar dentro do escotismo com a conivência de B.-P. Ainda teríamos, no decorrer da história, fatos curiosos como o do próprio movimento escoteiro ser uma espécie de associação independente da League of Woodcraft Indian, idealizada por Ernest Thompson Seton, que afirmava que B.-P. havia “roubado” boa parte de suas ideias – uma história postergada para um outro artigo.

Continuar lendo