Livro – O desaparecimento do escoteiro Marco Aurélio.

Faz alguns dias, terminei de ler o livro “Operação Marins”, do escritor e jornalista Rodrigo Nunes.
A obra, revisada e ampliada em sua última edição, conta a história do escoteiro Marco Aurélio Simon, desaparecido há 35 anos em uma excursão ao Pico dos Marins.

Nunes dá ao texto um caráter investigativo, recheado de fontes, e recorre muitas vezes ao jornalismo literário para transmitir a dramaticidade do caso aos leitores. Companheiros de Marco Aurélio, seu chefe escoteiro, participantes das buscas, diretores regionais e de distrito, familiares e amigos foram consultados para dar conteúdo ao livro.

Continuar lendo “Livro – O desaparecimento do escoteiro Marco Aurélio.”

Quando o escotismo francês assumiu um lado nas eleições presidenciais.

Todos os dias ganhamos (os escoteiros) oportunidades de nos posicionarmos e as perdemos. Nos últimos anos, foram aprovadas medidas que afetam diretamente a juventude, como a Reforma do Ensino, o congelamento de investimentos públicos, e atualmente existe até um levante de um nacionalismo perigoso que tem se pautado pela anulação do próximo como solução dos problemas. E o nosso atual silêncio, além de deseducador, faz com que nos distanciemos ainda mais da sociedade. Em nenhuma parte do mundo a neutralidade ajudou a construir um mundo melhor ou ajudou na emancipação da juventude, mas a fomentar uma adaptação servil por medo de tomar posições e ter um lado.

Continuar lendo “Quando o escotismo francês assumiu um lado nas eleições presidenciais.”

“Escola progressista” e escotismo.

John Dewey x Baden-Powell

A UEB – “Escoteiros do Brasil” tem uma parceria com o Café Mateiro. Vamos trocando pautas entre nós.
Anísio Teixeira estava na lista para o próximo artigo do blog, mas a UEB se adiantou e não só publicou uma notícia como prestou uma homenagem ao educador no último Congresso Nacional.

Anísio Teixeira foi uma figura importante para a educação brasileira. Principal signatário do Manifesto dos Pioneiros e promotor do movimento Escola Nova, pensava em uma escola democrática, inserida na sociedade, com uma metodologia crítica e dialógica.

Continuar lendo ““Escola progressista” e escotismo.”

Guidismo.

agnesSe perguntassem pra vocês qual é a origem das guias ou escoteiras, qual seria a resposta? Provavelmente boa parte de vocês diria que foi naquele Rally (com era chamado um “Jamboree”) realizado em setembro de 1909, em que Baden-Powell se encontrou com uma patrulha escoteira formada por meninas e, desde então, assumiu a responsabilidade de formatar um movimento para elas.

Continuar lendo “Guidismo.”

Crônica de uma Insígnia de Madeira.

IM-MachadoRelato enviado pelo escotista Ricardo Machado. O texto narra o caminho percorrido até a conquista da Insígnia de Madeira.

INSÍGNIA DE MADEIRA: QUEM SOIS?

Desde que entrei para o Movimento Escoteiro, ouvia falar dos tais IM’s: pessoas de notório saber escoteiro, vasos dos arcanos segredos da filosofia de B.-P., Santos responsáveis por manter as Tradições Escoteiras, líderes que, tal e qual Moisés, tinha como missão conduzir nós, reles mortais, pelos áridos caminhos do Escotismo. Empenhe-se, trabalhe duro, estude, sirva com prazer e orgulho o Escotismo (representado na Promessa pelo CNPJ da União dos Escoteiros do Brasil) e, quiçá, um dia, atingirá o nirvana e conseguirá as mágicas contas de madeira no pescoço, se transformando em um Imortal.

Continuar lendo “Crônica de uma Insígnia de Madeira.”