Mas…poxa vida.

pc-siqueira-2A coordenação do Joti 2015 promoveu um embate pitoresco entre jovens, adultos e a webcelebridade PC Siqueira, do canal maspoxavida.

Durante o evento, foi lançada uma tarefa em que os jovens deveriam convencer uma dessas celebridades a mencionar a hashtag #EuNoJoti para pontuar em suas bases. A negativa do youtuber PC Siqueira, que conquistou fama por postar opiniões em vídeos e por ter atuado como VJ da MTV, causou revolta entre escotistas e escoteiros.

“Feio”, “A UEB vai meter um processo no teu c…”, “seu otário, lixo”, “arruma um tratamento para esse estrabismo”, “vagabundo” foram algumas mensagens postadas por jovens e – acreditem – por adultos.

PC Siqueira, que tem justamente a internet como seu negócio e já acostumado a estas situações, entrou no jogo.

Alguns prints do ocorrido.

Quatro dias depois do percalço, a UEB – “Escoteiros do Brasil” lança uma nota explicativa, que pode ser lida aqui.
Também é certo que no dia 20 de outubro, a coordenação do JOTI veiculou um texto sobre o ocorrido, fazendo paralelos entre o número de famosos que interagiram e compartilharam a hashtag da atividade, deduzindo que PC Siqueira não era significativo nestas interações. Fechavam a nota acusando a webcelebridade de “apologia às drogas” – é que PC Siqueira usou a hashtag #UseDrogras em uma de suas mensagens. A nota da coordenação estava neste link e acompanhava a assinatura do ad eternum coordenador do Joti, Rafael Froes, mas infelizmente foi deletada. Para azar de alguns e sorte de outros, o Google guarda uma versão em cachê de páginas deletadas. A nota emitida pela coordenação pode ser lida nesta captura de tela.
Já a assessoria de comunicação contratada pela “Escoteiros do Brasil”, ciente desde o começo do incidente, dedicou-se a mandar mensagens individuais pelo Facebook, orientando participantes e formadores de opinião a fingir que nada aconteceu.

Não podemos competir

Por mais que nos aborreça este episódio ou que presumamos que PC Siqueira não seja representativo, o fato é que o youtuber conta com certa influência, principalmente entre o público jovem. Nesta história, quem é a figura não representativa? Vejamos alguns dados:

  • Cada vídeo do canal maspoxavida, administrado por PC Siqueira, possui uma média de 400 mil visualizações. Já os vídeos do canal no Youtube dos “Escoteiros do Brasil” possuem a média de 600 visualizações cada. Se somarmos as visualizações de todos os vídeos dos Escoteiros do Brasil não chegamos a superar a média de 1 (um) vídeo do canal maspoxavida. Ou seja, PC Siqueira consegue mais ou menos 600 vezes mais visualizações que os escoteiros.
  • O canal maspoxavida conta com mais de 1.800.000 assinaturas. O canal da “Escoteiros do Brasil” possui apenas 2.900.
  • O perfil no twitter da “Escoteiros do Brasil” possui 4.250 seguidores. Já o youtuber tem 1.400.000.

Sem entrar em divagações sobre o orçamento da “Escoteiros do Brasil” para publicidade, sobre a atuação dos 14 integrantes da Equipe Nacional de Imagem e Comunicação, dos profissionais contratados…o que estas estatísticas nos sugerem?

hitting-the-reset-buttonA moda dos vlogs veio e passou, mas os escoteiros não souberam aproveitá-la. A moda dos vídeos/tutoriais sobre técnicas mateiras veio, já está acabando, mas os escoteiros não souberam aproveitar este nicho.

No entanto, a maior parte dos youtubers sustenta esta fama entre os jovens porque, em algum momento, soube se destacar nestes canais. É certo que estas celebridades se destacam, por vezes, com polêmicas negativas (homofobia, racismo, xenofobia, discurso do ódio); noutras com opiniões e posicionamentos que encontram lugar no universo dos mais jovens. Porém, todas têm algo em comum: eles se posicionam.
Os escoteiros ficaram obsoletos neste sentido. O escotismo simplesmente desdenha do público externo, enquanto em nossa comunicação prevalece o que é interno na política do autoconfete.
O escotismo se encontra longe dos lugares que a juventude frequenta.

Uma outra questão, já abordada em outro artigo, é essa nossa capacidade de fazer bom juízo de nós mesmos enquanto nossa inserção é baixa entre a população jovem do país (0,03%, sendo exato). Devemos assumir que, por mais que existam 50 milhões de escoteiros no mundo (e que o efetivo brasileiro contribui pouco com isso), ninguém nos deve favor pelo fato de existirmos. Nosso melhor escudo, por ironia, é justamente nosso anonimato. Basta alguém descobrir nossas entranhas e estaremos certamente em má situação.

Um case para estudo: PC Siqueira

Interessante não foi ver jovens discutindo ou usando insultos contra a webcelebridade. Nada disso é aconselhável ou bonito de se presenciar, mas compreensivo dada a idade da juventude que interagiu, com todo o peso do vigor e espontaneidade desta faixa etária. Preocupante foi o teor das mensagens: a UEB vai te perseguir, a UEB não vai deixar barato, a UEB vai enfiar um processo no teu…pois é.
O que estamos fazendo para que esta juventude tenha a imagem de uma associação vingativa, perseguidora e sectária? É simples: usar comissões de ética para perseguir desafetos; transformar a formação e o reconhecimento em moeda de troca; perseguir outras associações no judiciário, afirmando que são clandestinas…e por aí seguimos.

pc-siqueira-2

Youtuber foi VJ da MTV e conta com vários seguidores no Twitter

Apologia às drogas

Por uma hashtag tola usada por PC Siqueira, tal qual o adjetivo “babaca”, a coordenação do Joti, em nota, acusou o sujeito de apologia às drogas. Dentre as webcelebridades que usaram a hashtag #EuNoJoti, encontram-se algumas interessantes, como Danilo Gentili, que não é bem um personagem que faz apologia ao amor, à paz e às virtudes escoteiras. A regra foi essa: suba a hashtag e seremos piedosos com suas apologias; diga “não” e você verá o que são os escoteiros. É mais ou menos isso: este são meus princípios….se você não gostar, tenho outros.

Tudo bem. Esqueçamos por um momento as celebridades e nos centremos no escotismo brasileiro em atuação interna. Estamos livres de nossas próprias apologias? Elas afetam a permanência do público juvenil ou o interesse que possa ter em escotismo? Acredito que sim. Vejam.

  • Na loja nacional, há um livro chamado “Reflexões de um Velho Lobo”. É uma coletânea de artigos escritos para escotistas, estabelecendo certas normas de condutas, atividades e pensamentos. Entre os textos, podemos ler a seguinte proposta de atividade:

“Uma professora ou mesmo uma senhora entendida, pode vir ao Grupo ensinar ‘Elegância Comportamental’ que é a forma que as garotas devem se comportar socialmente, em lugares mais sofisticados, como vestir-se adequadamente, andar com elegância usando sapatos de saltos altos, pois estar preparadas evita constrangimentos e aquele famoso ‘como é que eu faço’?.
Ensinar a fazer mini docinhos e salgadinhos específicos para receber os amigos em casa, em ocasiões especiais, arranjos de flores, Origamis, decoração de ambiente para pequenas recepções e até repertório de músicas para ocasiões.”

Ensinar comportamento social para meninas? Fazer docinhos?
Menos, muito menos. Este pensamento não é contemporâneo e não corresponde à realidade social atual. Isto é apologia à misoginia.

  • Este foi um e-mail que recebi quando o assunto “Estatuto da Família” estava em pauta. Quem escreve é um dos diretores de uma região escoteira.

Divulguem em todos os seus grupos urgente…

Da para votar pelo celular mesmo, basta clicar no link e votar sim!
A Câmara dos deputados está promovendo uma enquete querendo saber se:
“Você concorda com a definição de família como núcleo formado a partir da união entre homem e mulher, prevista no projeto que cria o Estatuto da Família? ”
Os LGBT’s estão votando NÃO em massa e estão ganhando.
Eu votei SIM, vote também. E divulguem o máximo que puderem.

Este chamado foi visto em vários meios escoteiros, listas de discussão e grupos. É feio usar o mailing da região para isso. Grupos escoteiros, crianças, jovens e adultos deveriam ser incentivados a usar a própria individualidade e liberdade para se decidirem, e não que um adulto venha exercer sua influência baixo um cargo. Apologia à homofobia e uso do cargo em causa própria. Sem novidades até aqui. E não vamos entrar na questão que fomos um dos últimos países a aceitar mulheres em nossas fileiras ou a se pronunciar na questão LGBT.

  • Esta vem do próprio site da UEB.

A União dos Escoteiros do Brasil, nos últimos anos, tem enfrentado grande proliferação de associações que, de forma clandestina, afirmam-se praticantes do escotismo.

O parágrafo faz parte da justificativa institucional para as ações judiciais. Não é a UEB que julga quem é ou não clandestino, por incrível que possa parecer aos mais fervorosos dirigentes e aos menos esclarecidos. É o judiciário. E em se tratando de justiça, a associação nacional não teve sucesso em nenhuma das demandas que entendeu empreender contra outras associações. O que acontece com esse tipo de discurso? Que fomenta confronto. É apologia ao ódio.

  • Este aqui vem do site de uma região.
Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

Bem. Sem mais, é apologia ao “aos amigos tudo, aos inimigos a lei”.

  • Este vem de um manual de “Valores Morais” que circula pela internet e pelo meio escoteiro.

Nenhum homem pode ser útil a si mesmo e aos outros, se não crê em Deus e não obedece às suas leis. É necessário, pois, que cada Escoteiro tenha uma religião.

Não há nenhum estudo que comprove que a aceitação de ateus, católicos, humanistas, evangélicos, agnósticos etc no escotismo, comprometa ou garanta a eficácia do método escoteiro. Em todo caso, isso é o que menos a juventude quer ler: regras de parâmetros morais. Jovens querem um ambiente livre, querem estar próximos aos seus amigos, querem vivenciar a própria juventude e não a que nós tivemos, como já se apontava em outro artigo.

Tremam

PC Siqueira prometeu gravar um vídeo falando dos escoteiros. Um escotista, segundo suas fontes, afirmou que este vídeo já está pronto e só espera divulgação; outros afirmam que houve acordo entre a UEB e o youtuber para que nada fosse divulgado, e que inclusive haverá uma ação conjunta – não é compreensível que a instituição o acuse de apologia às drogas e logo faça um acordo. Em todo caso, a UEB, como resposta, fez o que sabe fazer de melhor: resolver suas causas com dinheiro. Para isto, registrou o domínio escoteirocomorgulho.com.br ontem, 22/10, e pagou um hotsite messiânico para a campanha.

Ignorando que a webcelebridade fale bem ou mal dos escoteiros no iminente vídeo, a notícia não é essa, mas esta: a UEB consegue tirar uma campanha publicitária da manga da noite para o dia diante de um conflito e um problema de direção, mas não conseguiu fazer o mesmo, durante todos estes anos, para ajudar as unidades locais, para a cooptação de voluntariado ou para promover o movimento.

Foi assim com o caso “Big Brother”, com a reportagem da emissora Record sobre o desaparecimento de Marco Aurélio Simon, com a reportagem da Isto É sobre um homossexual expulso do movimento escoteiro brasileiro, ou com a constante piada fácil que somos diante da imprensa política paranaense, graças a um político-escoteiro que temos por lá.

O caso do PC Siqueira apenas nos expôs o que realmente somos, como lidamos mal com as situações adversas, como não nos interessamos pelo que acontece ao redor, como somos amadores em termos institucionais, como queremos parecer sérios e só causamos risadas e como agimos partindo de uma notoriedade que não temos.
Só há uma menção especial em todo este embate: os pioneiros, que souberam tratar com irreverência a situação, mas como são tacitamente esquecidos institucionalmente, não foram lembrados.

É hora do RESET. Ou, senão, continuemos a fazer isso para solucionar problemas:

Pao_de_cacadorIngredientes:
– farinha de trigo
– sal
– varas de bambu
– água

Modo de preparo:
Despeje a farinha com pitadas de sal numa vasilha. Coloque água aos poucos, até que a massa fique macia, mas não muito mole. Misture bastante até que a massa desgrude do fundo.
Pegue porções da massa e as enrole. Coloque-as enroladas em um pedaço de bambu limpo e sem fiapos.
Leve o espeto à fogueira, não muito perto do fogo. O pão estará no ponto quando estiver dourado.

Anúncios

23 pensamentos sobre “Mas…poxa vida.

  1. Caro, concordo com você quando você quando aponta que há algo errado com nossa instituição se nossos jovens e adultos se desgastam dessa forma com xingamentos e ofensas, ainda mais por um motivo tão banal. Em compensação, acompanhei a atividade e, como consequência, a polêmica toda. Acho que esse site com a tal campanha foi uma ótima ideia, aproveitando-se de um momento em que estamos sendo vistos para divulgar o movimento escoteiro e seus benefícios. Você reclama bastante que a UEB é omissa e resolve com dinheiro, mas ora, publicidade gratuita alguém faz? E quando começam a fazer algo, tudo que ouvimos por aí dos reclamões convictos é que deveriam ter feito antes, que deveriam ter acertado antes. Vamos parar de voltar para erros que não podem ser remediados e adimitir que dessa vez a UEB acertou se não em todas, na maioria de suas ações. Meu grupo recebeu a mensagem no facebook e, honestamente, não interpretamos da mesma forma que você, acredito que nenhuma coisa que fosse feita funcionaria se os escoteiros não parassem com as agressões ao tal pc.
    Não ha como defender a atividade, que não instruia direito os jovens e que, a bem da verdade, nem deveria ter sido realizada. Mas vejo que aparecemos para o público externo e que nos aproveitamos da chance para mostrar o lado bom.
    Seja um pouco mais razoável, amigo. Nem tudo são flores, mas a falta de apoio de muitos associados, que eu mesmo acompanhei xingando abertamente a UEB, dificulta a divulgação do escotismo.

    • A direção nacional demorou 4 dias… QUATRO DIAS… para se posicionar oficialmente e quando o fez solta uma nota apócrifa, sem a assinatura de ninguém, que não esclareceu nada. Os nossos dirigentes, sempre tão visíveis em redes sociais, despareceram. Então, em meio a uma crise, ao invés de aparecer alguém mostrando que a instituição tem representantes, gente séria liderando o escotismo, o que fazem? Criam uma campanha da noite para o dia, registram um domínio a toque de caixa e todos devem aplaudir.

      Claro que ninguém faz propaganda de graça, mas eu acredito que profissionais não lançam campanhas e sites da noite para o dia, sem planejamento, sem um estudo aprofundado, simplesmente para responder a uma crise que surgiu na internet. Em instituições sérias, nota oficiais são assinadas por um diretor.

      Atual diretoria teve dois mandatos para fazer divulgação do Escotismo, mas só se mexeu com algo quando um vlogueiro arrumou um problema com maus escoteiros. Eu preferia, mil vezes, que ao invés de lançar um site em 24 horas, a DN tivesse se manifestado, publicamente, no mesmo prazo e mostrado que temos liderança, que quem está lá mandando é sério e sabe de suas responsabilidades como representantes de 70 mil pessoas.

      Não há como apoiar uma direção (e veja que falo de direção e não de instituição) que não tem a decência, a dignidade, a ética, de assinar uma nota de esclarecimento e se entoca toda vez que há um problema. A contenção desta problemática com PC Siqueira deveria te sido feita no prazo em que decidiram fazer uma campanha de divulgação, ou seja, 24 horas.

      Pode até ser que temos “reclamões convictos”, mas temos muito mais “puxa-sacos convictos”.

    • Você ter ido lá e chamá-lo de “feio” foi realmente muito produtivo, resolveu o problema e deu um ótimo exemplo do Espírito Escoteiro para os jovens. B -.P. estaria orgulhoso de um adulto agindo pior que um jovem. Parabéns.

  2. Só um detalhe, o site ~messiânico~ foi feito de maneira completamente voluntária. Sem pedir um centavo que fosse. Eu sei porque fiz parte disso, se fosse deixar pra UEB fazer alguma coisa, qualquer coisa, a gente esperaria sentado e virava esqueleto. Ninguém, repito, NINGUÉM destes que planejaram e fizeram o site são relacionado com a diretoria ou sequer indiretamente com a UEB. Ele foi idealizado simplesmente porque, como bem disse a Chefe Ju, já que estamos sendo vistos que mostremos o movimento e seus benefícios.

    Abraços

    • Oi, Igor. Estamos falando sobre o hotsite escoteirocomorgulho, correto?
      “Messianismo” significa a expectativa de profunda mudança pela intervenção de uma figura carismática. Acho que você pescou a ironia.
      Quanto ao site, está excelente e introduz algo inédito no escotismo: é responsivo rsrs. Parabéns pela iniciativa.
      A associação nacional concordou com o uso dos desenhos patenteados e do banco de imagens?
      Fica seu registro como adendo ao texto, e talvez como possível pauta de como uma instituição usa o trabalho alheio para fazer bom juízo de si mesma. Abraço.

      • Tenho que discordar de usa o trabalho alheio, se foi feito por iniciativa pessoal, porque algumas pessoas acreditam que podem contribuir de livre e espontânea vontade então a gente não pode falar nestes termos

    • Deixa eu ver se entendi: um grupo de voluntários, profissionais em design, programação, etc, se unem, montam um site em tempo recorde, usam imagens com direitos autorais, a base de dados dos Grupos Escoteiros, tem uma divulgação maciça nas redes sociais da própria UEB… e nada tem com a diretoria nacional?

      Alguém me explica que macumba é esta?

      • Que macumba, amigo? O plano foi feito e sugerido a UEB. Eles gostaram e foi executado, o que tem de mágico nisso?

    • Caro Igor, me parece um tanto quanto infundado sua apropriação pela realização do tal site. Primeiro pq, mesmo que sugerido para a UEB, essa “parceria” para utilização das imagens e fotos jamais aconteceria tão rapidamente. É facil saber pq qualquer um que precisa da UEB espera -sempre- mais de uma semana. Segundo, se fosse de produção voluntaria, isso provavelmente seria citado na nota que a UEB divulgou: http://escoteiros.org.br/noticias/noticia_detalhe.php?id=1075.
      Recebemos pelo wathsap mensagens vindas de grupos que pediam para disseminar essa campanha do orgulho escoteiro. Mas enfim, a iniciativa é ótima, e se vc teve algum envolvimento, está de parabéns também.

      • A ativação do projeto foi por parte da UEB, sim. O plano de comunicação foi sugestão. Inclusive com todas as formas de ‘divulgação’, incluso o whatsapp. É esta a parte da qual tenho conhecimento, das imagens realmente não sei dizer. Quanto a “um tanto quanto infundado sua apropriação pela realização do tal site” e “se fosse produção voluntária” acho que eu não precisaria mentir sobre a questão, não é mesmo?

  3. Está difícil aguentar até abril de 2016 para que essa Gestão da DEN sair pelas portas do fundo.. É uma lambança atrás da outra, não me lembro de uma gestão tão amadora e com decisões patéticas como essa.

  4. Me parece perturbador a existência de um blog escoteiro, altamente profissional, mas com um nítido intuito de expor as ‘fraquezas’ de nossa instituição, de forma sistemática e cirúrgica. É questionável que ‘pessoas’, talvez integrantes do movimento escoteiro, estejam agindo de tal modo através do anonimato. Na minha opinião, é intrigante e duvidoso tentar imaginar quais são os interesses que se passam por de trás das criticas, que na minha visão, são realizados de forma destrutiva. Sinceramente evito o Café Escoteiro, pois não reconheço o anonimato como algo passível de ser levado em conta. Enfim, creio não ser a primeira vez que exponho tal opinião neste blog, mas não consegui ser isento ao me deparar com este veículo se apropriando de um episódio acidental para, na minha opinião, atingir a atual gestão, com vistas a sabe-se lá o que? Certamente é este o grande mistério que cerca este blog e entre os seus ‘debatedores’, alguns anônimos… Quem é o responsável e/ou quem (ou o que) ele busca favorecer. Para mim, a Escoteiros do Brasil e os nossos jovens não estão sendo favorecidos nem um pouco.

    • Olá, Pedro.
      Se não me engano, você era administrador da comunidade “Contra o escotismo pirata” nos áureos tempos de Orkut, correto? Imagino que ainda tenha um calo quando aparece, num texto como este, algo que supostamente defenda estas associações independentes. Não se preocupe, não é uma conspiração bolchevique para a ocupação da UEB por parte dos “tradicionais”. Se você não evitasse o blog como diz que evita, certamente se daria conta que este espaço não poupa as associações ditas “independentes” das críticas.

      Quanto a sua conclusão de que este blog não favorece nem jovens nem a “Escoteiros do Brasil”, entendo que não é bem este espaço que se dedica a isto. Abraço.

    • Então você é contra notas oficiais não assinadas ou sua indignação é seletiva?

      Acho que o Café Mateiro deve sim expor os erros da associação, pq puxa-sacos para exaltar até o errado já se tem de monte

  5. Texto genial e reflete bem a situação “digital” da UEB. Enquanto vemos outros países investindo em divulgação “externa”, atrativa e bem elaborada, temos no Brasil algo chato… feio até. Resta então aos próprios grupos ou indivíduos por sua livre e espontânea vontade investirem em material.

    Aqui em Minas, o 21GE (www.21geman.org) elaborou um belo e responsivo site que descobri através do podcast de um de seus membros que fala sobre e divulga o escotismo: https://escribacafe.com/podcast-vi-lord-baden-powell-bd6aa0fdecaf#.kzqb3aio8

    Além disso é possível também encontrar ações de outros grupos em vídeo e até revistas criadas com qualidade, beleza e que, definitivamente atraem o público externo.

    A questão é que essas ações são pequenas perto do que a UEB poderia fazer de forma global. Não creio haver falta de dinheiro e sim falta de perspectiva.

    • Pioneiro, excelente referência essa do 21geman.org, um site com qualidade e muito bem feito.

      Quero ouvir mais das suas ideias, da sua perspectiva. Como a comunicação externa digital dos escoteiros pode melhorar? De que forma você acredita que a divulgação se tornaria atrativa e bem elaborada, tal qual as estrangeiras que você citou? Quais peças, sites, canais, mídias, veículos, táticas ou estratégias você acredita que falta hoje e o que poderia ser feito? Quais propostas você pensaria para os níveis nacional, regional e local de divulgação? O que poderia ser feito de forma global? Qual seu plano para viabilizar tudo isso? Abraços, saps.

  6. Meu papel com adulto foi deixar meus seniores de fora da discussão e quem deveria responder em nome de todos os escoteiros do Brasil era quem nos representa a DEN. Tenho maior motivo para todos os dias criticar essa DEN por tudo que estou passando mais respeito minha promessa e vou deixa o processo ser concluído.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s