Nova vestimenta – perguntas, respostas e imagens.

introvestimentaSegundo a página deste novo vestuário idealizado pela associação, são 21 modelos de vestimentas para jovens e adultos, sendo que os ramos menores e maiores usarão, todos, o traje azul; já os escotistas e dirigentes usarão o verde.
Os preços serão veiculados na semana que vem*. Os grupos escoteiros terão 2 anos para trocar o atual “azul-mescla” por este novo traje.

Mesmo a informação não sendo clara nesse sentido, vale lembrar que esta mudança afeta a vida e o orçamento das unidades escoteiras locais. A inclusão deste traje não deve ser encarada somente como um passo à modernização, fazendo-nos cegos e mudos em decorrência do trabalho propagandístico realizado até o momento;  mas como uma decisão que mexe no bolso dos associados e, principalmente, levanta a necessidade de se atualizar a própria maneira de gerir a associação, quando esta parece construir barreiras para que membros do movimento escoteiro (jovens e adultos) participem em decisões que afetam diretamente todo um planejamento de um grupo escoteiro e, sobretudo, seus bolsos.

Se a questão girasse somente ao redor do desenho deste novo modelo, não se pode negar que, se comparado ao azul-mescla, a nova proposta é uma opção interessante. Ainda assim,  há outros setores da associação que deveriam ser modernizados antes mesmo de uma peça de roupa. Muito deste desgaste que temos visto em redes sociais, por vezes colocando associados contra associados, poderia ser evitado se o assunto “traje” tivesse sido administrado às claras junto à comunidade escoteira desde 2010 (ano em que a proposta de atualização foi concebida).

banner-novo-vestuário

Com a divulgação dos preços, espera-se um manual sobre o uso deste novo traje, a exemplo do que se fez com a nova marca.
Ainda não foi confirmada ou negada a informação de que novo traje só poderá ser adquirido em uma loja escoteira, o que eliminaria o barateamento praticado por alguns grupos escoteiros quando recorriam às costureiras locais para a confecção do traje.

Abaixo, imagens da nova vestimenta escoteira divulgadas pelo perfil Equipando para Aventura.
Como sempre, a comissão responsável por este novo traje tem neste blog o espaço aberto para esclarecer dúvidas e veicular qualquer informação. Para isto, basta usar o link “Contato” ou os comentário abaixo.

* O preço do novo vestuário ainda não foi divulgado (28/05/2013)

28 comentários em “Nova vestimenta – perguntas, respostas e imagens.

  1. Até onde entendi, essa proposta só ajuda em todos os quesitos que você mencionou. Principalmente no financeiro.
    Posso estar errado, mas entendi que uma das 21 opções é justamente uma camiseta de R$ 15,00. Não vejo como isso vai alterar a gestão do grupo. Não de uma maneira negativa, pelo menos.
    Abs

    1. Use a camiseta e esqueça distintivos, cordões e tudo o que aquele universo representa dentro do método

  2. Prezados Irmãos Escoteiros,

    Apesar dos uniformes serem bonitos, seguem, ainda, a linha dos uniformes utilizados pelo Movimento até então (camisa de botão, lenço e bermuda ou calça).

    Com receio de ser mal interpretado, porém não posso me furtar de externar a minha opinião, que tem como única finalidade a de contribuir com o Movimento que tanto amo.

    Não seria o momento de rotura com um estilo de uniforme ultrapassado, em desuso (ninguém nesse século sai com um lenço pendurado no pescoço, camisa de botão por dentro da calça ou bermuda, meio esticada).

    Esse estilo de uniforme deu ensejo à aquela infeliz “brincadeira” de um renomado humorista:
    “Escotismo: um bando de garotos vestidos de idiotas, comandados por um idiota vestido de garoto”

    Baden Powel foi um homem inovador e dotado de um grande senso de humor, a frente de seu tempo, conforme se extrai do livro, cujo título se bem me

    recordo chama-se “Lições da Vida” . Digo isso pois o uniforme idealizado na época, guardava relação com tempo em que foi concebido (próprio de um aventureiro

    pronto para uma expedição ao ar livre). Nos dias de hoje, certamente, BP idealizaria outro ESTILO de uniforme.

    O novo estilo de uniforme que, salvo melhor juizo, deve ser buscado para o movimento deve se espelhar nos uniformes esportivos.

    Casacos, bermudas, camisas, modernas, por exemplo de malha não transpirante, com emblema do movimento.

    Por fim gostaria de externar que esta é apenas uma opinião, que tem exclusivamente a intenção de ajudar o Movimento Escoteiro. Parabenizo a todos

    que acreditam e lutam pelo Movimento. Idependentemente desta comunicação ter alguma aceitabilidade pelos irmãos escoteiros, alerto para a necessidade

    de estarmos sempre prontos a ouvir e implementar, todas as atualizações necessárias, em todos os assuntos afetos ao Movimento Escoteiro.

    Sempre Alerta!!!

    1. Bom Dia !
      Penso o seguinte, mesmo ter morrido como herói posso opinar.
      O novo uniforme, vestimenta, traje, com toda a certeza vem “renovar”, mas será que vem explicar o que é o Movimento Escoteiro??? Vamos passar por uma nova mudança ? na década de 90 houve o traje, não foi muito boa a mudança pois confundiu a todos e mesmo assim persistiram por um tempo a “renovação” São Paulo utiliza do Caqui a maioria dos grupos Escoteiros. A ideia de acabar com o Uniforme Caqui pode acontecer! Então criaram mesmo que sem transparência, sem informação, com “pesquisas” enfim utilizam do 1/2 caqui para parecermos um Brasil Unificado, até ai tudo bem, mas estamos ficando mais parecidos com outros países, porque a UEB então nao buscou uma unificação universal ? ou porque o movimento não foi consultado ?? quando dizemos movimento devemos lembrar que o movimento escoteiro está nos Grupos Escoteiros, pois se não tem grupo nao tem movimento, e quem vai pagar por isso serão os grupos Escoteiros. E mais uma grife da UEB ? ou alguém tem uma fabrica de tecido e roupas vai lucrar com isso ?? esses são os questionamentos!
      Renovar é importante, melhorar, mas transparecer é bacana. Se tivermos que o Brasil inteirinho usar o Novo uniforme, pois é um explorador, aventureiro e tal, masss que tipo de aventureiro ? Eu gostei da nova vestimenta, ficou Bonita, muito bonita, mas a questão é quanto vai ficar isso ???/ e quem vai pagar ???? e os novos grupos que gastaram agora com o traje ou uniforme ??? bem ficam perguntas talvez sem respostas. Mas será que foi o jovem que quis mudar o estilo ou alguns adultos que influenciaram a cabeça dos jovens ?? nesse ponto ficamos em duvida também!!

      Bom café mateiro a todos, eu Caio vou ficando por aqui!!!

      Sempre alerta!

    2. Interessante… [..] Apesar dos uniformes serem bonitos [..] já estamos usando o plural, que sempre será mais caro que o singular.
      Outro ponto: ESTILO é diverso de CORTE. Que o corte do único uniforme devesse ser atualizado, nem resta duvida. Eu duvido que se saiba porque as calças curtas ( diverso de bernudas ) dos ramos menores não tinham bolso laterais.
      Portanto.. atualizar o corte seria coisa boa. Rver a manga cumprida idem. Pensar em um colete? quiçà

    3. eu discordo de vc victor.

      acho q os uniformes deviam ser tradicionais.. tinha q botar calça e sapato (tenis se for atividade), camisa de botão.. e tudo mais

      uniformes são bonitos…. representam uma causa.. se o uniforme não esta atraindo,ou não tem uma causa bem clara (o que é obvio escoteiro virou colonia de férias) ou o uniforme esta bagunçado como esse que a ueb quer fazer.. nem pra entrar em escola séria isso serve…

      as crianças de 10 anos do colégio militar andam faradas e ninguém ri…

      as crianças de 14 anos do colégio publico Pedro II andam com camisa de botão e sapato e ninguém ri.

      as crianças de colégios católicos tradicionais andam de tênis preto calça comprida e camisa da escola e niguem ri.. agora traje escoteiro, e essa bobeira da ueb não é digna do escotismo..

      meu grupo não vai aderir.. se a UEB encher o saco.. meu grupo vai sair da UEB e ir pra Associação de BP ou os tradicionais ou ate mesmo autonomo.

      os pais das crianças não gostaram da ideia do novo traje bagunçado e caro.. sendo q a ueb nao paga icms e andam muito descontentes com a UEB.

  3. Eu já expressei minha opinião anteriormente sobre a mudança do traje para a vestimenta, mas tem um novo item que me incomodou muito: 21 modelos!
    Espero não ser interpretado mal, mas em um país onde o Escotismo não é tão reconhecido, onde se confunde várias outras associações de jovens com o escotismo, acredito isso vai literalmente confundir a todos os que não pertencem ao Movimento.
    Vale lembrar que o Uniforme, Traje ou Vestimenta é um “espelho” para a sociedade.

    A UEB continua cometendo o mesmo erro básico, em pensar só dentro do Movimento, e não em como o Movimento se apresenta para a sociedade.

    1. Nonato. Eu estava presente no lançamento. Tenho minhas restrições ao processo, e as manifestei às pessoas que estiveram envolvidas nele, mas também vejo muitas coisas sendo faladas no calor da emoção, e muito disto é por conta da continuidade do principal problema na implementação do processo,a falta de transparência e comunicação.
      Na verdade se formos analisar corretamente a única introdução da cor diferente da camisa para diferenciar membros juvenil do adulto. No mais as combinações são igualmente às existentes. Não são 21 modelos, mas apenas dois modelos, adulto e juvenil, no mais o que você vê na foto é a apresentação de todas as combinações possíveis tal qual existe hoje no traje, e de certo modo no uniforme, ou seja camisa+bermuda, camisa+calça e camisa+ saia (óbvio que só para o gênero feminino), depois temos as opções, camisa com manga curta e comprida (esta também previstas e usadas hoje em dia), que na foto aparece desdobrada e arregaçada para mostrar que tem uma presilha que prende quando a manga está levantada, a camisa polo é a uniformização do traje alternativo que está previsto no POR na forma de camiseta, e atualmente somente é difundido na Região do Rio Grande do Norte .

    2. O missivista comenta, muito justamente o EFEITO da medida: o mercado turco de roupas, Não gastou uma linha sobre a CAUSA que foi uma deslavada mentira de enquete e afins

  4. Nonato disse tudo mesmo. A questão não é a mudança, mas essa mudança não faz o jovem diferente dos demais jovens da sociedade. O Escoteiro tem que fazer a diferença e ser diferente. Esse é um dos princípios que BP nos deixou. Como seremos identificados se usarmos algo que não nos diferencia? E como ficara isso dentro dos Grupos Escoteiros, onde o jovem pode usar um dos 21 modelos, que padronização será exigida?

    1. LAyana comenta um lado.. mas ela sabe que o plano geral de distintivos, as cores dos mesmos foram pensados para .. o caqui. Depois que inventaram o mescla, os distintivos perderam a “heraldica” e foram para “grafismo”. Agora com fundo verde .. o fgrafismo fica um “CHOSE DE LOC!”

  5. Gostei muito da proposta, creio que ela abraça muito bem a ideia de um país continental e com diferenças climáticas, culturais e sociais. Além de modernizadora e despojada, rompe com a ideia militarizada e estanque.
    Por outro lado, a manutenção dos uniformes dá a oportunidade de cada Unidade Local continuar utilizando aquilo que bem entender.
    A possibilidade de criar condições mais simples (como o uso de uma camiseta polo) ou a de criar uma linha nacional de produtos (contendo agasalhos, calças, bermudas, saias, etc) também possibilita outras condições às Unidades Locais.
    Cada Unidade Local é autônoma inclusive para pequenas convenções (como tipo de calçado, uso do cinto, entre outras). Vejo muitas coisas por aí, como GE´s que usam o uniforme caqui mas desrespeitam calçados pretos, meias cinzas, usam tipos de coberturas extremamente estranhas… fora as práticas (como jogos do tipo “aranha” ou músicas que induzem palavras de baixo calão ou cunho sexual, cantadas em público).
    Creio – por outro lado – que este seja um assunto polêmico e que esta é a primeira polêmica que a UEB enfrenta em tempos de modernidade e redes sociais…
    Por fim, creio que o mais importante para nosso movimento deva ser nossos Fundamentos, nosso Propósito e nosso Método, esses sim, imutáveis tradições legadas por Baden-Powell.

    Bom, eis minha modesta opinião.

  6. Quanto ao tecido:
    Fibra natural ou sintética??? Minha maior dúvida, parece bobagem, mas é importante

    1. 50% algodão 50% poliéster na camisa – A calça/bermuda/saia é de um tecido mais grosso. Em conversa particular com um membro da comissão fui informado que o tecido sintético igual ao da calça dos escoteiros americanos foi testado mas não passou nos testes de retardamento de combustão. No lançamento informaram que foi feito o teste do costura descostura distintivos, razão pela qual se optou pela composição igualitária algodão poliéster.

      1. Finalmente uma voz DIZ QUE foram feito testes de costura/descostura. Ao menos UMA VOZ disse, mas o ato de costurar é diverso neste Pais. Descosturar idem ( gilete, tesorinha de unha ponta curva etc ).
        Mas… voces leram tudo no manual de instruções da ROUPA NOVA ?

  7. DESABAFO

    Sei que muito não vão concordar com minhas palavras, alguns vão me criticar, me chamar de arcaico, mas como diz o enunciado vai meu desabafo (já que estamos em um país livre, posso me dar a este direito).

    Estou no Movimento Escoteiro (ME) desde 1988, já vi e presenciei muitas coisas, boas e ruins. Mas nada se compara ao momento que o ME está vivendo atualmente.

    Fico pensando no que nossos dirigentes têm na cabeça sobre essa confusão toda sobre Vestimenta x Traje x Uniforme? Com certeza não é no jovem que estão pensando.
    “Escotismo para todos?” Certamente que não!

    Sei que uma instituição necessita de fundos para sobreviver, mas à custas de uma Grife de Roupas? 21 modelos?

    Deixo bem claro que nunca fui contra a mudança do Uniforme. Ele tem um tecido pesado, para algumas regiões do país é desconfortável, alguns jovens não gostam de usar. Eu gostava muito da camisa mescla, mas odiava a idéia da calça Jeans e sapato de qualquer cor.
    O uniforme poderia ter sofrido mudanças sim, desde que houvesse um consenso entre o novo e a tradição.

    A UEB em vários momento tem se mostrado tendenciosa e usando má fé neste caso!
    Já sei, lá vem bordoada em cima de mim! Mas antes de escrever me respondendo, seja a meu favor ou contra, gostaria de fazer apenas QUATRO PERGUNTAS:

    1ª – Quando a UEB mudou seu Logotipo alguém foi consultado?
    2ª – Você já reparou que em todas as publicações da UEB nós só vemos escoteiros usando o Traje e praticamente nenhum usando o Uniforme?
    3ª – O processo para a escolha da nova Vestimenta foi feito abertamente e democraticamente?
    4ª – Qual organização conhecida possui 21 tipos de “uniformes” diferentes?

    Como disse no começo, sei que muito não vão gostar de minhas palavras. Mas é o meu desabafo. E digo mais, tenho visto muitos jovens com o mesmo pensamento pelo Brasil a fora.
    Um Grande homem disse um dia: “Na dúvida, pergunte ao jovem!”

    E aí UEB, você têm perguntado ao jovem? O preferem continuar negligenciando o principal objetivo do escotismo: O Jovem.

    1. FALE… FALE SEMPRE ! e se estiver preocupado…. eu aderi ( não faço..) a promessa em 1960. ATenção somente ao 1/2 discurso do “pergunte ao jovem”. Se eu, que dou exemplo, ensinar a enrolar um baseado, desde a escolha do papel a uso ou não da maquina de enrolar, o tipo de CANNABIS, as vantagens de usá-la e der um tapa na corte de honra .. que raios de exemplo dou? Traje para adultos…. mas eu tinha vergonha de usar o mesmo do que os jovens? Será pelo traje que me se reconhecerá como adulto ?

  8. um traje tem a ver com o propósito:militar,sacerdote,comissário,médico´,veterinário,desbravador,enfermeiro….tem a ver com identidade-sacerdote pode rezar missa de bermuda????-tem a ver com atividade exercida-pernas machucadas pelos galhos nas simples caminhadas serão tratadas pelos chefes ou pelos pais? Os ingleses já mudaram tb?Com qual propósito a mudança? Foram testados os trajes na prática? Protegeram?Quem ganha com isto?Acho bom refletir…uma jovem contestou …justo uma jovem,de quem se espera querer se livrar de tradição,meia cinza até o joelho,calor com blusa abotoada…….creio que nem os jovens estão aguentando mais ficar sem parâmetros!!!!!!!!!!!!um traje tem a ver com o propósito:militar,sacerdote,comissário,médico´,veterinário,desbravador,enfermeiro….tem a ver com identidade-sacerdote pode rezar missa de bermuda????-tem a ver com atividade exercida-pernas machucadas pelos galhos nas simples caminhadas serão tratadas pelos chefes ou pelos pais? Os ingleses já mudaram tb?Com qual propósito a mudança? Foram testados os trajes na prática? Protegeram?Quem ganha com isto?Acho bom refletir…uma jovem contestou …justo uma jovem,de quem se espera querer se livrar de tradição,meia cinza até o joelho,calor com blusa abotoada…….creio que nem os jovens estão aguentando mais ficar sem parâmetros!!!!!!!!!!!!

  9. Quem opinou q seria melhor este uniforme(q não parece un iforme) 21 opções,isso não é uniforme desculpe é bagunça, dois anos pelo menos dá tempo de nossos uniformes q acabamos de comprar a prestação ficarem velhos,sinceramente vai ficar uma folia.

    1. Pode ser que maliciosamente foi usado este recurso de marketing. nos ramos menores é rapido a transformação do fisico. Tanto neles quanto nelas.

  10. Gostei muito da nova vestimenta, é moderna, pratica e respeita a estética típica de um uniforme escoteiro.
    Na verdade minha implicância é com o traje azul-mescla com calças jeans. Este sim fugia a quaisquer padrões de uniformidade, simplesmente desleixado desde sua concepção.
    Meu grupo utiliza o traje azul-mescla, nunca me acostumei. Vendo aqueles jovens com a malfadada bermuda ou calça jeans, cada uma de um modelo e corte diferente, sentia saudades dos meus velhos tempos de lobinho e escoteiro … a 30 anos!
    Entretanto, algumas criticas ao novo vestuário são completamente intolerantes e permeadas de completa ignorância. Pessoas que respeito muito no movimento escoteiro foram infelizes em seus pronunciamentos, anunciaram o fim definitivo dos uniformes tradicionais, falaram do rompimento total de nossas tradições e afirmaram que foram pegos de surpresa e não esperavam por esta mudança.
    Entendo que a UEB foi AMADORA na divulgação do novo vestuário. Faltou mobilização e divulgação. Deveriam ter anunciado o desfile com mais antecedência, esclarecido anecipadamente às regras de uso, informado as condições de comercialização. Criaram incertezas que superaram em muito a expectativa pelo vestuário em si.
    Esse amadorismo não é só típico da UEB, as instituições independentes também sofrem do mesmo mal (na verdade pouco diferem da UEB).
    O próprio desfile foi realizado em clima excessivamente descontraído, improvisado mesmo. Confundiram um desfile de moda com a apresentação de um vestuário escoteiro. Isto suscitou uma série de críticas que poderiam ter sido evitadas. Li muito mais críticas às blusas para fora da calça e à bendita sandália do que comentários (positivos ou negativos) sobre o novo vestuário. O mínimo de seriedade e profissionalismo poderia ter evitado toda esta confusão.
    Mas o vestuário veio para substituir o azul-mescla, só por isso ele é bem vindo! Dou adeus ao azul-mescla com imenso sorriso no rosto. Não fará falta. O azul-mescla nunca foi e nunca será um traje adequado ao escotismo brasileiro.
    Leio muitas críticas às 21 combinações possíveis de vestuário e entendo que não é bem assim. Estas 21 opções incluem as camisas com corte feminino, demanda mais que justificável, e a saia. Portanto, no final das contas ficam apenas as possibilidades de camisa de manga curta, camisa de manga comprida, bermuda, calça comprida e saia, que são variações necessárias tendo em vista as dimensões de nosso território e suas variações climáticas.
    O importante é que o novo vestuário é bonito e tem cara de vestuário escoteiro, certamente dará bons frutos ao nosso movimento. Quem quiser usar os uniformes tradicionais pode continuar usando.

  11. A cor azul mescla não é vestuário… é cor. A camisa, blusa, gandola etc deve ter alguns requisitos de corte e de proteção do corpo. A gola precisa das barbatanas. São necessárias as ombreias. O Bolso deve ser tamanho passaporte brasileiro. A manga deve ter dois cumprimentos. Os botões? um bom capitulo à parte… deveriam ser em massa.
    Porque? tema á parte e dese já faço referencia aos ilhoses do mar. Lembre-se que B-P. recomendava somente levar 2 camisas em campo. Porque? outro tema.
    A discussão do tecido é outro tema.
    Portanto; CORTE + TECIDO + COR = Camisa garbosa

  12. Que bacana!
    Voltando no tempo, AIP de Barretos, talvez 1997, Grupos Escoteiros de Sao Paulo assinaram a Carta de Barretos, em defesa do uniforme escoteiro, o caqui, contrapondo-se ao traje.

    Sérgio G da Costa

  13. Após analisar os comentários dos prezados escoteiros, parece-me que o uniforme proposto representa um avanço, não sendo possível ir além desse ponto.

    Sob esse enfoque corroboro, as equilibradas manifestações do Robson Moraes e do Eduardo Valadares.

    Sempre Alerta!!

  14. O Novo vestuário Escoteiro ficou muito bonito, moderno , um verdadeiro equipamento para Aventura.

    A ideia de convidar o Senai , fazer um trabalho profissional , fazer Benchmarking em organizações internacionais , ter feito a pesquisa com os jovens no Joti , ter feito pesquisa em grupos escoteiros proporcionou este excelente vestuário.

    Temos que continuar nos modernizando e continuar crescendo , desde 2007 crescemos todos os anos tendo no último ano um aumento maior de 10% chegando a quase 77.000 escoteiros.

  15. Acho muito legal toda esta discursão mas a UEB tá pouco ligando para isso, pois o que for decidido lá dentro é lei. não importa a opinião dos Grupos. Mal sabe a UEB que este papo de fazer um uniforme para proteger nas aventuras e acampamentos é furada. Na verdade o uniforme só é usado para bandeira e eventos. Pois depois da bandeira o uniforme e retirado e só volta a ser usado no fim da atividade. Vejo em um futuro próximo uma grande reviravolta pois a cada evento que vou mais Chefes falam sobre escoteiros independentes e a queda da ditadura na UEB e dos… A UEB não tem uma comissão para ajudar os Grupos que estão em dificuldade principalmente o que se refere a local para sede. Só tem interesse em manter o monopólio do nome ESCOTEIRO e explorar como uma empresa, pois quem faz o escotismo somos nós. O que a UEB fez para aumentar 10% o efetivo de escoteiros no Brasil?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s