Cúpula da UEB participa de live com deputado federal. E daí?

No dia 9 de novembro, o diretor-presidente da UEB, Rafael Macedo, participou de uma live com o deputado federal goiano, Major Vitor Hugo (PSL). Com o tema “escotismo”, o evento também contou com as participações da diretora-presidente do Conselho de Administração Nacional, Isabelly Castro, e do diretor de métodos educativos, Celso Menezes. Todos eles representando a UEB – “Escoteiros do Brasil” no encontro.

Continuar lendo “Cúpula da UEB participa de live com deputado federal. E daí?”

O Escoteiro Bolchevique – ainda sobre movimentos de jovens.

O artigo anterior deste blog, sobre a importância dos movimentos da juventude, bateu na canga de alguns adultos. E prontamente foi atendido.

Naquele texto, foi explicado que há certos setores dentro do escotismo que sentem pavor que a juventude seja dona do seu próprio futuro, que defenda suas pautas e que pratique aquilo que está no mesmíssimo método escoteiro: a cidadania. É óbvio que a publicação daquele artigo atiçou a vaidade de muitos, que acabaram confirmando tudo o que havia sido dito. Meia dúzia de parágrafos sobre movimentos de jovens foram suficientes para que espaços na internet começassem a fazer exatamente o que foi dito no artigo anterior: anular ou diminuir o papel da juventude no escotismo.

Continuar lendo “O Escoteiro Bolchevique – ainda sobre movimentos de jovens.”

Escotismo – Por que os movimentos de jovens incomodam tanto?

Nestes dias, passei o olho por três textos que circularam na internet escoteira. O primeiro deles, que faço questão de compartilhar no rodapé deste artigo, perguntava aos leitores se eles haviam notado a mudança do escotismo em direção a algo mais prático em relação à sociedade e aos problemas que dela aparecem. O autor questiona, ainda dentro deste importante tema, se não seria também importante manter a simplicidade do escotismo ao mesmo tempo em que poderíamos nos ocupar com questões maiores, como o combate ao racismo ou à desigualdade.

Continuar lendo “Escotismo – Por que os movimentos de jovens incomodam tanto?”

Livro – O desaparecimento do escoteiro Marco Aurélio.

Faz alguns dias, terminei de ler o livro “Operação Marins”, do escritor e jornalista Rodrigo Nunes.
A obra, revisada e ampliada em sua última edição, conta a história do escoteiro Marco Aurélio Simon, desaparecido há 35 anos em uma excursão ao Pico dos Marins.

Nunes dá ao texto um caráter investigativo, recheado de fontes, e recorre muitas vezes ao jornalismo literário para transmitir a dramaticidade do caso aos leitores. Companheiros de Marco Aurélio, seu chefe escoteiro, participantes das buscas, diretores regionais e de distrito, familiares e amigos foram consultados para dar conteúdo ao livro.

Continuar lendo “Livro – O desaparecimento do escoteiro Marco Aurélio.”

“Código de Conduta” dos Escoteiros do Brasil.

Antes de dar abertura a este texto, eu recomendo muito a leitura do artigo anterior sobre o “sistema de competências” adotado pela “Escoteiros do Brasil” para sua organização e formação de jovens e adultos. Nele, são abordados assuntos como o fato de a associação estabelecer, ao seu próprio critério, “condutas desejáveis” no que se espera da atuação do voluntariado e no que ele pode pensar ou fazer. Tem muita relação ao que será escrito aqui.

No dia 5 de agosto, três dias depois que este blog pautou as competências, a “Escoteiros do Brasil” lançou um documento chamado “Código de Conduta” em uma live, com a participação do vice-presidente do Conselho de Administração Nacional, o presidente da Diretoria Executiva Nacional, entre outros.

Continuar lendo ““Código de Conduta” dos Escoteiros do Brasil.”